As incongruencias do mundo de hoje

Eu posso não gostar, mas não devo demonstrar.

Entramos no mundo do politicamente correcto, um espectro ditatorial que veio para ficar. Graças à esquerda, o politicamente correcto entrou nas nossas casas. Sim, tudo na sociedade tem o seu lado político. O apoio irracional aos pequenos grupos, criam na sociedade lacunas de existência.

Vejamos o que podemos ou não fazer:

  • Eu, tenho que gostar de todos os outros. Especialmente se o outro for de cor diferente da minha, caso não goste de uma determinada pessoa de cor diferente, sou racista. Porém, se não gostar de alguém da mesma cor que eu, aí não se trata de racismo, mas sim de gosto e afinidade.
  • Posso ser considerado de machista, se afirmo que todas ou grande parte das mulheres conduzem mal. No entanto, se uma mulher afirmar que todos os homens são burros, infantis e nojentos já isso não é considerado pelo lado sexista, mas sim uma mera opinião pessoal.
  • Não posso não gostar de ver dois gay’s aos beijos na rua, mesmo que não goste de ver dois heterossexuais nas mesmas circunstancias. Caso não goste tanto da primeira como da segunda sou somente acusado de homofobia.
  • Não gosto de ver mulheres de Burca! Para além de ser acusado de islamofobia, também sou acusado pelas feministas que levam acabado a liberdade da mulher perante a sua roupa.
  • Critico quem fuma cigarros, mas apoio a livre distribuição de drogas leves: cannabis, maconha …
  • Critico todas as empresas, monopólios e capitalismo em toda a sua forma. Porém sou incapaz de passar sem os seus produtos.

Estas e muitas mais, são as incongruências da esquerda, que não pára de sublinhar um bem igualitário que nunca existiu. Ela será sempre assim; em redor dos fracos e oprimidos para poder manter vivas as suas elites.