Correu contra o vento

Se bem que aconteceu e de tanta tentativa se fartou… ela corria contra o vento. Isso estava mais que nas vistas de todos. A tipa frustrava-se em si mesmo, como uma chama que consome o pavio.

A moça recriava as suas ilações mentais, onde a mente lhe mentia inconsciente. Estava sempre na patética expectativa que alguém se interessasse por aquilo que criava. As pequenas chamas não passavam por ser reduzidas e aquela que tinha no interior aproximava-se do fim.

Que importância lhe deram… o passado não era diferente do presente, o futuro torna-se ofusco cheio de criticas e com pouca criatividade.

Depois de outrora ter ouvido uma frase inesperada, dita por quem amava, recebe hoje o desinteresse do novo amor sobre o assunto. A cor do arco-íris fazia-se a preto e branco, a primavera entristecia-se igual ao outono.

Deixe uma resposta