Ideologias e as suas mortes…

Ideologias e as suas mortes…

O que devemos apoiar? Que pensamentos políticos devemos acartar como nossos?

Vivemos num mundo Globalizante e heterogéneo, e ainda bem que é dessa forma. Acho que a viver num mundo onde todos sejamos iguais não é algo que suscite a minha convicção.

A imposição de igualdade é igual à aniquilação do pleno da liberdade. Informações que já mencionei em outras publicações. Neste, caso, neste… não quero falar sobre a liberdade individual. Quero pois falar de algo caricato.

Como toda a gente sabe, governos extremistas como o Comunismo ou até mesmo o Socialismo em vertente nacionalista, acabam por matar muitas pessoas, e é sobre esse números que eu quero falar.

  • Adolfo Hitler foi um verdadeiro assassino. No seu partido Nacional-Socialismo, Hitler, o ditador, conseguiu chegar a números superiores a 60 milhões de pessoas.
  • Stalin obviamente que não se deixou ficar a trás. Ditador do Partido Comunista da União Soviética, o menino Stalin chegou a passar das 100 milhões de pessoas.
  • Fidel Castro, aqui não estamos a falar de uma personagem qualquer. Estamos a falar do amado Cubano que fuzilou 56212 mil pessoas, assassinados extra-judicialmente outras 1163. Falando dos presos políticos mortos no cárcere por maus tratos… aí foram 1.081. Mortos ou desaparecidos em tentativas de fuga pelo mar 77.824. Todavia ele será um verdadeiro mártir do mundo.
Assim de momento, vale a pena falar da Coreia do Norte? Um regime também ele comunista?

 

O intuito é: Quem é que apoias mesmo? estás mesmo do lado de quem?

Previous post
Os miúdos são assim tão burros?
Next post
Da "Lua Cheia" ao "Sangue Imundo"

1 Comment

  1. […] das vozes de protesto, que indicam que os gays são exclusivos do BE e da comunidade de esquerda, não deve saber o que aconteceu no passado. Talvez essas personagens tenham acesso a estudos que não foram […]

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

*

Back
SHARE

Ideologias e as suas mortes…