Ordenado mínimo Português | Gerson Ingrês

by gersoningres
2 anos ago
56 Views

Para mim o ordenado mínimo nacional é a coisa mais patética numa sociedade democrática!

A existência de um ordenado mínimo não é nada mais nada menos que dizer: “Ok, pessoal vocês não sabem impor regras e fazer com que os vossos patrões vos paguem mais, por isso o papá vai falar com o patrão e irá obrigá-lo a pagar aquilo que o papá tabelar…

O estado é o paizinho e salva o seu filho… o filho é um rapaz mimado que quer tudo dado pelo seu paizinho. Isto é uma sociedade sem perspectiva, onde é o estado que comanda o navio e as pessoas não podem requerer direitos e fazer com que o mercado funcione por ele mesmo.

Vou contar uma história que aconteceu comigo:

“Há um tempo atrás, eu fui a uma entrevista. Nessa entrevista, a empresa disse-me que só contratava pessoas a recibos verdes. Ao que eu respondi que não aceitava esse tipo de exploração.

** para quem não sabe, eu não trabalho com recibos verdes e rejeito esse tipo de contratos **

Como a empresa gostou do meu CV, aceitou fazer-me um contrato. Eu era o único dos precários, que no fundo era menos precário que toda a equipa. Pois todas as outras pessoas tinham recibos verdes e eu não.”

É triste viver numa sociedade onde o paizinho tem que controlar os seus filhos.

Um patrão oferecesse 500€ de ordenado, por 40 horas semanais. Se toda a gente disser: não aceito! O patrão não iria ter outra alternativa se não elevar o valor. É dessa forma que o mercado devia funcionar. O patrão é livre para escolher o valor que deve pagar e o funcionário é livre para opinar sobre esse valor.

Nos anúncios de emprego:

Habilitações literárias mínimas ao nível do 12º ano; Boa capacidade analítica;Conhecimento de BackOffice ao nível bancário (preferencial); Experiência anterior em funções similares (preferencial); Conhecimentos de informática na óptica do utilizador; Disponibilidade imediata. Renomeração: Ordenado minimo nacional

É preciso ter muita cara de pau! Pedir tudo mais um par de botas e depois dizer em mensagem subliminar que: querem que o trabalhador dê a própria vida por 500 euros… estes senhores do pagamento precário pensam que estão a fazer um grande favor aos trabalhadores. Dar o ordenado mínimo nacional ou mais 20 euros que o ordenado mínimo, é a mesma coisa que dizer que a empresa é uma MERDA e não vale nada (isto é como os irlandeses pensam do próprio ordenado mínimo e é esta filosofia linda que era preciso neste país precário).

É por toda esta mentalidade que o meu desejo de sair de Portugal se intensifica… esta é uma das razões que eu odeio ser português. 

Etiquetas:,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.