Os extremos políticos e a generalidade são equiparáveis | Gerson Ingrês

by gersoningres
3 anos ago
133 Views

Tenho que admitir que sinto receio em ver a extrema esquerda a subir ao poder, assim como também sentiria receio se visse a extrema direita.

Comunismo é uma ideologia política e socioeconómico, que pretende promover o estabelecimento de uma sociedade igualitária…

Em termos ideológicos, o Fascismo e o Comunismo não estão assim tão longe um do outro. Ambos são opressores e limitam a liberdade individual. Na sua generalidade, a grande diferença está em ser-se nacionalista e não ser. Em ambos o estado controla tudo e todos, criando opressão a quem se opõe ao regime extremista.

Fascismo é uma forma de radicalismo político autoritário nacionalista…

Igualdade vs liberdade

Ao impormos a igualdade ao outro individuo, estamos indirectamente a aniquilar a liberdade de um.

Num exemplo: alguém concebe uma ideia estúpida e faz dela uma lei. Essa lei, por mais idiota que se possa tornar, irá limitar a liberdade de um que vá contra ela.

Numa opinião geral, os extremismos, as ditaduras deixam-me com algum receio… mas, ao mesmo tempo, como liberal que sou eu tenho que aceitar os outros. Numa democracia, aquela mais justa, é aquela que tem varias ideologias.

O Portugal democrático

Em portugal a democracia deixa muito a desejar. Estamos inseridos numa sociedade com espírito de estado. O próprio povo é um povo que gosta de ver o seu estado a engordar, mas não o gosta de pagar. Também é um povo, que não tem noção do que são os extremos políticos e as ideologias que cada partido defende.

A meu ver a democracia é pobre.

Numa visão global de 2016 (Fevereiro), podemos ver uma esquerda unida com: Comunistas, Trotskistas e Socialistas.

Uma direita: “Democraticó-Socialista” onde o foco principal e de divergência se encontra no conservadorismo.

Neste país, não consigo encontrar nenhum partido liberal, onde se paute na liberdade individual e num mercado mais livre e justo (não confundir isto com capitalismo ou recentemente com: Anarcocapitalismo/Libertinagem/Neoliberal).

Até mesmo o antigo governo, que se dizia liberal, foi tudo menos liberal. Não foi liberal nos costumes, no volume do estado, no mercado livre, …

É triste ver a escumalha dos partidos se tornarem numa promiscua e dolorosa corrupção que deforma ainda mais o estado e cria uma cumplicidade aprovada pelo povo, num estado corrupto e sem fim.

– Meus caros, quanto maior foi o estado, maior é a sua corrupção!

A meu ver, a democracia em Portugal é pobre  (mas obviamente que eu acho isto pois é a politica que eu defendo e na generalidade o ser humano puxa sempre a brasa à sua sardinha… ).

Etiquetas:, , , , , , , ,