Quebra a corrente

Quando acreditamos muito em algo e crê-mo-lo de coração, o “universo” proporciona o que desejamos.

Eu sou aquele típico personagem que elimina, sem pensar duas vezes… aqueles e-mails versus conversas (da treta), onde lá está descrito que tenho que reenviar o texto a X número de pessoas.

Quem nunca recebeu nas redes sociais aquele quebra correntes de azar?

Estou a falar daquele texto catita, que no seu super-sumo existe um parágrafo de alerta, onde diz que; «se não enviares este texto a X número de personagens, o infortúnio irá colidir sobre a tua vida…». Acredito que maior parte já recebeu esse tipo de mensagens. Também creio que em seu maior volume, a conclusão é aderir a essas correntes.

A pessoa deixa de ser genuína e começa a focar a sua energia naquela mensagem.

Eu como pessoa não sou muito influenciável, pois quando recebo esse tipo de textos acabo por eliminar ou desistir de seguir com as correntes. Quando sentimos algo, o sentimento deve ser genuíno. Acredito que tudo o que é difícil tem um sabor melhor. O caminho para chegar ao auto-conhecimento passa por; crescer e ser grande com as próprias dificuldades.

Tu não vais ser feliz só por mandares uma mensagem a 12 pessoas. Tu serás feliz porque o teu desejo é esse. A tua força interior procura por isso.

Procura a tua essência interior, as correntes não te tornam autentico… porém formatam-te como um robô, no meio de uma sociedade plástica.

Deixar uma resposta