30 anos… com os pés nos trinta

Dia 10 de Junho de 1988, nasci… isto já lá vão 30 anos!


Se me perguntarem:

tens uma vida de sonho?“, obviamente que a resposta seria “não“. Ainda estou para conhecer a pessoa que tenha a vida de sonho. Se por outro lado me perguntarem; “És feliz?” Em possível resposta diria que sim, não me posso queixar da vida que tenho.

A nível espiritual estou cada vez mais forte e mais próximo do meu caminho. O judaísmo entrou-me no sangue, só falta aprender mais e investir na Kabbalah. Ainda à muito trabalho pela frente, não será em dois dias que vou aprender tudo. O caminho é longo e eu tenho muita força de vontade!


Irei fazer trinta anos! Olhando para toda a minha vida, percebo que vivi bastante, mas tudo o que passei voltava a fazer igual. Todas as relações e todas as vivências.

Agora, vendo este anos todos e reflectindo apenas nestes 29 que acabaram por passar… vejo que acabei por aprender algumas coisas:

  • Percebi que não devemos estar com alguém por pena, ou para tentar esquecer uma outra pessoa que não sai do nosso pensamento. Não devemos arrastar relações só pelo medo de nos vermos sozinhos. O medo de estar só, não passa disso… um medo!

Na vida acabamos sempre por aprender muito e eu, com trinta anos, começo a ter o síndrome desse decimal. Que vida quero ter no futuro (de certa parte até começo a compreender o Rijo), que família quero constituir, com quem quero partilhar a minha vida. Claro que estou descrente no facto de um relacionamento ser para sempre, mas quero um dia voltar a acreditar nisso.

Por enquanto, estou a caminhar devagar, pois dizem que tudo o que é feito calmamente tem mais sabor, mas… espero, espero que amanhã tudo seja mais claro.