Dark Light

Visto os acontecimentos do ano passado, daquilo que prometi a mim mesmo neste dia, este ano por opção não convidei … quis ter um momento de celebração comigo.

O “Tu Bishvat” acaba por ser uma das mais singelas festa judaicas, que geralmente acontece entre Janeiro e Fevereiro. E foi, logo à partida, uma celebração que acolhi de muito bom grado.

Cheguei do trabalho já tarde, porém tinha feito troca de turno, isto para poder chegar a tempo de preparar o jantar. Em atrasado tinha ido ao supermercado para comprar a tipica fruta, com os frutos secos. TIve tambem o cuidado de selecionar as frutas essenciais que estão na Hagadá.

Assim que cheguei a casa, casado depois de um dia de hospital, comecei a cortar as frutas. Essa foi a parte mais trabalhosa, não podia cortar muita fruta, simplesmente a essencial para mim, para conseguir comer a maior variedade possível para o sarau. Tentei ser o mais rápido que consegui, para que alguma fruta não ficasse oxidada.


O processo foi todo feito como devia de ter sido. Coloquei a Kipá na cabeça e li, comi e parecendo solitário, devo admitir que me diverti bastante.

Ao longo dos anos, tenho percebido que não posso arrastar outras pessoas a fazer aquilo que eu gosto. No passado, posso afirmar que; fiz com que duas pessoas estudassem hebraico, isto mesmo sem elas gostarem da língua. Hoje, penso um pouco mais, de forma individual. Sei que o caminho, o meu judaísmo, tem que ser feito por mim e não terei ninguém a acompanhar-me (pelo menos por agora). Todavia, devo dizer que foi um um dos jantares mais divertidos que passei sozinho!


Tu Bishvat (ט״ו בשבט), este ano, foi e será o primeiro de muitos, sozinho ou acompanhado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Related Posts