A má-língua mostra o que tens

Ser humano tem grande hábito ou vício de dizer mal de pessoas ou coisas.

Falando das coisas…

Quem não tem aquele típico amigo, conhecido ou parente próximo que tem um gosto particular em falar mal? Também quem não tem aquele especifico personagem, que gosta de apontar e salientar o que para ele são defeitos, ou coisas menos boas?

Para todos eles, em geral a língua é maior que o cérebro (não os estou a desculpá-los de modo algum).


Quando a língua é de maior que o cérebro, conseguimos dizer coisas que bem pensadas, não as diríamos.  Geralmente, esse tipo de pessoas consegue ser cruel nas indirectas que verbalizam. Mesmo estando a dizer verdade ou não, o que se acha ou o que se deixa de achar, por vezes, deve ser dita com medida. Devemos de dizer a verdade de forma que o receptor da mensagem não se sinta insultado ou magoado.


Devemos agir de forma de forma ponderada, e pensando sempre na questão: «Se eu tivesse na pele de x, o que queria ouvir?»

Quando se fala mal, naquele momento o linguarudo está a relatar um pouco do ciume que tem. Daquilo que deseja, no seu interior mais obsceno. A má língua reflecte-se no espelho interior para um terceiro.